21/03/2012

Hidra: esquema comandado por André Lopes sonegou mais de R$ 500 milhões

A Operação Hidra, desencadeada em conjunto por forças policiais estaduais e federais na manhã de hoje (21), está desarticulando uma quadrilha que movimentou mais de R$ 500 milhões em sonegação fiscal. O líder está sendo apontado como o guarapuavano André Lopes.



A Operação Hidra, desencadeada em conjunto por forças policiais estaduais e federais na manhã de hoje (21), está desarticulando uma quadrilha que movimentou mais de R$ 500 milhões em sonegação fiscal. O líder está sendo apontado como o guarapuavano André Lopes.

De acordo com o promotor coordenador do Gaeco em Guarapuava, Tadeu Algimeri de Góes Lima, o objetivo da Operação hoje foi “angariar subsídios para o processo investigativo de sonegação fiscal”. No total, estão sendo cumpridos 96 mandados de busca e apreensão em 19 cidades, sendo 13 no Paraná, duas em São Paulo e quatro em Santa Catarina. No total, mais de 400 policiais estão envolvidos na Operação.

A ação é coordenada pela Polícia Federal de Guarapuava, Receita Federal e pelo Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MP-PR), e conta ainda com a participação da Polícia Civil, Policia Militar e da Receita Estadual.

Noventa e três mandados de busca e apreensão serão cumpridos nos três estados. No Paraná, a operação é desencadeada em Curitiba, Ponta Grossa, Imbituva, Guarapuava, Londrina, Bandeirantes, Campo Mourão, Cascavel, Assis Chateubriand, Marechal Cândido Rondon e Medianeira.

Em Santa Catarina, a ação ocorre em Balneário Camboriú, Blumenau, Lages e Ponte Alta. Mandados também devem ser cumpridos em Marília e Ourinhos.

Os servidores fazem buscas por documentos fiscais e contábeis, extratos bancários, veículos, cheques e dinheiro em espécie, além de armas e drogas.

De acordo com a PF, não há mandados de prisão para ser cumpridos, mas pode haver flagrantes.


Investigação

A investigação teve início em 2006 através da Polícia Civil. Em 2008 o Gaeco assumiu as investigações.

Os principais crimes cometidos pelo grupo, de acordo com as investigações, são sonegação de impostos estaduais e federais, lavagem de dinheiro, ocultação de bens e direitos e evasão de divisas, formação de quadrilha, falsificação de documentos e falsidade ideológica.

Esquema

De acordo com o delegado da Receita Federal de Ponta Grossa, Gustavo Hornet, a estimativa é de que o valor sonegado pelo esquema ultrapasse R$ 500 milhões. “Ainda são estimativas. Vamos investigar toda a documentação que está sendo recolhida hoje, mas pelo prazo e pela maneira como a quadrilha agia, estimamos esse valor”, explicou o delegado.

De acordo com o coordenador estadual do Gaeco, Leonir Batisti, o esquema era comandado por 9 pessoas, sendo o mentor o guarapuavano André Lopes. “Eles abriam empresas em nome de laranjas. Muitas vezes, esses laranjas não tinham posse e eram até mesmo empregados da empresa. Na maioria dos casos foram postos de combustíveis, onde havia um organograma de crescimento. Começava como funcionário, passava a gerente até receber seu posto ou empresa”, explica.

Segundo o delegado chefe da Polícia Federal em Guarapuava, Maurício Todeschini, não há prisões decretadas. “Todas as pessoas serão ouvidas. Nenhum estabelecimento foi fechado ou lacrado até o momento. A Operação consiste na busca de provas. O processo segue em segredo de justiça”, acrescenta o delegado. De acordo com Todeschini, André Lopes, apontado como o mentor do esquema, não foi localizado para prestar depoimento. “Foram efetuadas buscas na residência de (André) na manhã de hoje, mas ele não foi localizado. Ele deve ser ouvido em breve”, afirma o delegado.

COMENTÁRIOS







WHATSAPP: (42) 9858-6582
Envie flagras, denúncias, avisos e outros.

RedeSul de Notícias - Todos os Direitos Reservados
Permitida a reprodução de reportagens, desde que citada a fonte.

SERVIÇOS

Anuncie Expediente Telefones úteis Sugestões de Pauta Fale Conosco

EDITORIAS

AgroComunidadeCulturaEconomiaEducaçãoEsporte/LazerGeralObituárioPolíticaSaúdeSegurança/Justiça