AgroComunidadeCulturaEconomiaEditaisEducaçãoEsporte/LazerGeralObituárioPolíticaSaúdeSegurança/Justiça
 
 

Segurança/Justiça

01/12/2011

Inveja das agressoras provocou a morte de Jéssica

Advogado de uma das envolvidas confirma o motivo logo após depoimentos

Inveja das agressoras provocou a morte de Jéssica



A morte de Jéssica Borodiak dos Santos, 15 anos, teve como causa um motivo fútil. A inveja de duas das três agressoras provocou a briga que resultou na morte da adolescente na noite de terça-feira (29). O crime aconteceu na saída do colégio Leni Marlene Jacob, no Bairro Primavera. O irmão de uma delas participou do crime.


De acordo com João Carlos Prestes Taques Junior, advogado de uma das meninas envolvidas (G.A.N), 16 anos, “ a briga aconteceu por causa de uma discussão pelo modo de se vestir, pelo jeito do cabelo, essas coisas de adolescentes. Então a G.A.N ligou para a namorada do seu irmão avisando que aconteceria uma briga na saída da aula, e foi essa menina (16 anos) anos que teria dado as facadas em Jéssica”, disse o advogado logo após o depoimento de G.A.N na 6ª Promotoria
da Infância e Juventude. A adolescente está apreendida desde ontem, quarta-feira, na Cadeia Pública de Guarapuava. J.M.P, 14 anos, se entregou à polícia nesta quinta-feira e também depôs no MP. Ambas foram levadas para a Delegacia de Polícia. O advogado acredita que as duas adolescentes poderão ser transferidas para um educandário em Curitiba ou Cascavel, por medida de segurança. Altevir Adão Machado, 20 anos, e a namorada continuam foragidos.


Após o sepultamento de Jéssica, amigos protestaram em frente ao Ministério Público durante o depoimento das meninas envolvidas no crime. Em conversa com a RSN, algumas contaram que antes do crime ser consumado, J.M.P e G.A.N foram até a sala de Jéssica, antes da aula começar e fizeram ameaças.

“A Jéssica não estava levando as provocações a sério”, falou uma das colegas de sala. As testemunhas lembram que o irmão e a cunhada de G. A.N estavam na saída do colégio prontos para a briga. “A Jéssica tomou uma facada e saiu correndo para tentar entrar no colégio, mas o portão estava fechado. Nisso a G.A.N e a J.M.P seguraram a Jéssica e a outra menina deu mais um golpe de faca. O irmão da G.A.N não deixou ninguém se aproximar”, conta outra colega da vítima. Após a briga, Altevir e a namorada, 17 anos, fugiram numa motocicleta.



O MEDO IMPERA NO BAIRRO PRIMAVERA

Desde a noite do crime o medo impera nas famílias que vivem no Bairro Primavera. A mãe de uma adolescente que não quis se identificar por segurança, disse à RSN que Altevir e a namorada ameaçaram outras meninas na noite da morte de Jéssica. “Tenho medo de sair de casa. Precisamos de mais segurança para proteger nossas filhas”, clama a mãe.

Os moradores que participaram do protesto, na tarde de quarta-feira (30),  durante o velório da adolescente, também teriam sofrido ameaças da irmã e da mãe do jovem suspeito.

Matérias relacionadas:

Briga entre adolescentes resulta em uma morte no Primavera

Tristeza e revolta marcam velório de garota de 15 anos

Em clima de comoção, Jéssica é sepultada no cemitério Santo Antônio




Tags: ,

 

[+] Notícias

PRF apreende veículo roubado com 860 kg de maconha

Policia Civil de Prudentópolis prende irmãos que roubavam malotes na região

Ex-diretor geral da Polícia Civil é suspenso no Paraná

Com rebelião controlada, PM faz pente fino na penitenciária de Beltrão

Bombeiros controlam incêndio em carreta reboque carregada com madeira

Princípio de rebelião é registrada na Penitenciária de Francisco Beltrão

Justiça determina afastamento de prefeito, secretária de Saúde e vereador em São Miguel do Iguaçu

Dois presos fogem da cadeia de Pitanga

Justiça determina o afastamento de policiais envolvidos com o jogo ilegal

Adolescente é detido com arma e maconha em Guarapuava

Transferências de presos da penitenciária de Maringá não inclui Guarapuava

Assaltantes rendem motorista e levam veículo em Pinhão

Homem é encontrado morto no bairro Morro Alto em Guarapuava

PIG deve levar 4 meses para reparar os estragos da rebelião

Destruídas por rebelados, fábricas da PIG vendiam para todo Brasil

Equipe de Curitiba assume diretoria da PIG, em Guarapuava

Durante rebelião na PIG, pessoas apoiaram presos pelo Facebook

Parecer prévio recomenda irregularidade das contas de Coronel Domingos Soares

Após rebelião em Guarapuava, governo quer bloqueio de celulares em penitenciárias

Pacificamente, agentes são liberados e BOPE e Choque tomam PIG


Rede Shopping

Siga-nos 

E-Mail
 

SERVIÇOS

Anuncie
Expediente
Telefones Úteis
Sugestões de Pauta
Fale Conosco

 

EDITORIAS

 
SIGA REDESUL FacebookTwitterCanal RSS

Permitida a reprodução de reportagens, desde que citada a fonte.

© Copyright 2012 RedeSul de Notícias | Todos os Diretios Reservados 2012