AgroComunidadeCulturaEconomiaEditaisEducaçãoEsporte/LazerGeralObituárioPolíticaSaúdeSegurança/Justiça
 
 

Saúde

08/07/2013 - 13:52:00

Secretaria de Saúde adere a dois novos programas do Governo Federal


A Secretaria de Saúde de Guarapuava aderiu a dois importantes programas que irão beneficiar e proporcionar melhorias no atendimento e na qualidade de vida da população. O PSE (Programa Saúde na Escola) e o PMAQ (Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica) são desenvolvidos pelo Governo Federal como estratégias de integração da saúde e educação para o desenvolvimento da cidadania e da qualificação das políticas públicas dos municípios.

O Programa Saúde na Escola tem o objetivo de promover ações para prevenção e atenção à saúde nas escolas. Articulado pelas secretarias de Saúde e de Educação, conta com a participação de 30 unidades de saúde, 12 Cmeis, 29 escolas municipais e seis colégios estaduais. Ao todo, 14.884 alunos participarão de diversas ações, entre elas avaliação antropométrica, saúde bucal, saúde ocular, verificação da situação vacinal, promoção da segurança alimentar, da cultura de paz e direitos humanos, da saúde mental no território escolar, prevenção de DST/Aids e ao uso de álcool, tabaco, crack e outras drogas. “A coordenação das ações e a definição das instituições de ensino são realizadas pelo GTIN, que é o Grupo Municipal de Trabalhos Intersetoriais, composto por profissionais de saúde e educação. O grupo utiliza critérios definidos pelo Ministério da Saúde”, esclarece a coordenadora da Divisão de Programas Estratégicos, Fernanda Spyra Dal’Maz.

 

O PMAQ foi desenvolvido para ampliar a capacidade das gestões que assegurem maior acesso e qualidade, de acordo com as necessidades da população, permitindo mais transparência e efetividade das ações governamentais direcionadas à atenção básica em saúde. Para fortalecer as ações, Guarapuava promoveu a adesão de 13 equipes de saúde da família e 12 de saúde bucal. “Esse programa está organizado em quatro fases que se complementam, formando um ciclo contínuo de melhoria do acesso e da qualidade da atenção básica, que são adesão e contratualização, desenvolvimento, avaliação externa e recontratualização.

 

Segundo Fernanda Spyra Dal’Maz, o que acontece com o PMAQ é a autoavaliação das unidades de saúde. “O Ministério da Saúde, através desse programa, encontrou uma maneira de melhorar o funcionamento da atenção básica. Em um primeiro momento, será aplicado um questionário no qual a equipe de cada unidade irá responder o que deve ser melhorado. Esta ação será repetida em quatro momentos diferentes, em forma de reavaliação, até todas as modificações estarem concluídas. Assim podemos melhorar em todos os aspectos”, explica. Após a última avaliação, o Ministério da Saúde aplicará uma nota que será revertida em recursos financeiros para a unidade de saúde.




Tags: ,

 

[+] Notícias

5ª Regional emite nota sobre fechamento de UTI em Laranjeiras do Sul

Saúde libera R$ 55,4 milhões para reestruturação de hospitais universitários

Clima instável em Guarapuava facilita doenças respiratórias

Anvisa suspende lote de paracetamol e outros remédios

Anvisa suspende lotes de seis medicamentos por problemas que afetam consumidor

Ebola: Hospital da Califórnia isola paciente suspeito

CFM: 93% dos brasileiros estão insatisfeitos com saúde pública e privada

Fiocruz capacita equipe para atender casos de ebola que chegarem ao país

Consulta pública discute normas sanitárias para funcionamento de hospitais

Remédio para medula reverte tipo grave de calvície

Libéria diz ter localizado pacientes com ebola que fugiram de isolamento

Japão desenvolve exame de sangue para detectar 13 tipos de câncer

OMS monta grupo com companhias aéreas para monitorar ebola

Países com Ebola devem examinar todos os viajantes, diz OMS

Anvisa suspende venda de lote de medicamento para verminose

Candói recebe ambulância para transporte de pacientes

Espanha tem primeiro caso suspeito de ebola

Cerca de 1200 atendimentos comprovam eficácia do ‘Especialidades nos Bairros’

Ministério da Saúde quer duplicar capacidade de transplante de medula óssea

Controle de epidemia de ebola levará 6 meses, diz Médicos Sem Fronteiras


Rede Shopping

Siga-nos 

E-Mail
 

SERVIÇOS

Anuncie
Expediente
Telefones Úteis
Sugestões de Pauta
Fale Conosco

 

EDITORIAS

 
SIGA REDESUL FacebookTwitterCanal RSS

Permitida a reprodução de reportagens, desde que citada a fonte.

© Copyright 2012 RedeSul de Notícias | Todos os Diretios Reservados 2012