AgroComunidadeCulturaEconomiaEditaisEducaçãoEsporte/LazerGeralObituárioPolíticaSaúdeSegurança/Justiça
 
 

Saúde

04/02/2014 - 17:01:00

Guarapuava é referência no tratamento da hanseníase

Guarapuava é referência no  tratamento da hanseníase

A coordenadoria estadual do Programa de Combate à Hanseníase do Ministério da Saúde, escolheu Guarapuava como referência no tratamento da doença no Estado. A escolha só foi possível porque o Ambulatório Municipal de Pneumologia e Dermatologia Sanitária – AMPDS, da Secretaria Municipal de Saúde tem prezado pela qualidade no atendimento e tratamento dos pacientes de Guarapuava e Região.

Guarapuava passou a ser sede de treinamentos dos profissionais da área que trabalham com portadores da doença, com orientação das renomadas hansenologistas Ewalda Von Rosen Stahlke e Iara Rodrigues Vieira.

Com uma equipe  multiprofissional que conta com dermatologista, fisioterapeuta, psicóloga, assistente social, enfermeira e técnica em enfermagem, a AMPDS presta um atendimento diferenciado que resulta na diminuição de casos no município. Em 2013 foram registrados 20 casos em Guarapuava, cinco a menos do que em 2012.

Todos os pacientes contam com orientação psicológica, e tem a gratuidade dos medicamentos garantida. “O paciente de hanseníase não encontra o medicamento dele à venda, o Ministério da Saúde assegura a gratuidade do medicamento necessário, portanto, dizer que auxilia um portador de hanseníase para comprar o medicamento é um engano, uma inverdade”, assegura Elisa Midori Yamaguti Katayama, coordenadora da unidade ambulatorial que funciona no Consórcio Intermunicipal de Saúde de Guarapuava e Pinhão – Cisgap.

Em alguns casos também são fornecidas cestas básicas e vale-transporte durante o período de tratamento. Auxílio doença pelo INSS também pode ser solicitado através da AMPDS.

Pessoas que apresentem mancha diferente no corpo, que não muda de lugar e não incomoda devem procurar orientação médica imediata. A  hanseníase é uma doença grave, mas com tratamento garantido pelo serviço público de saúde. Vale lembrar que os medicamentos não estão à venda. “Quanto mais cedo o diagnóstico, maiores as chances de cura”, garante Elisa.




Tags: ,

 

[+] Notícias

Tomar antibiótico antes dos 2 anos de idade aumenta risco de obesidade

Estados Unidos enviarão mais 1,4 mil soldados para combater ebola

Ebola já deixou pelo menos 3.700 crianças órfãs, diz Unicef

Vida saudável afasta risco de doenças cardiovasculares

Secretaria de Saúde promove mutirão de odontologia neste sábado

Semana da Melhor Idade tem programação especial

Ebola: vacinas experimentais estarão disponíveis no início de 2015

Projeto para construção do Hospital Regional é aprovado

Saúde prepara Mutirão de Odontologia para sábado no Parque das Árvores

Serra Leoa ordena quarentena de 1,2 milhão de pessoas

Doação de fígado em vida deve ser vista com cautela, diz médico

Aborto é problema de saúde pública, alerta Anistia Internacional

Anvisa cria norma para volta da venda dos emagrecedores

Tuberculose ainda mata em Guarapuava e região

5º Regional avalia dados sobre programa de imunização

Epidemia de ebola já matou 2.803 pessoas em três países africanos

Reformadas, unidades de saúde ganham novo conceito em atendimento

Reserva do Iguaçu inicia vacinação contra brucelose

Angola: 11 milhões de crianças começam a ser vacinadas contra o sarampo

Operação contra ebola em Serra Leoa encontra 70 corpos e 150 casos


Rede Shopping

Siga-nos 

E-Mail
 

SERVIÇOS

Anuncie
Expediente
Telefones Úteis
Sugestões de Pauta
Fale Conosco

 

EDITORIAS

 
SIGA REDESUL FacebookTwitterCanal RSS

Permitida a reprodução de reportagens, desde que citada a fonte.

© Copyright 2012 RedeSul de Notícias | Todos os Diretios Reservados 2012