06/04/2017 08:04:00

ALERTA
Com mudança de clima, gripe já preocupa o Paraná
Secretaria da Saúde do Estado debate estratégias para enfrentamento da gripe


(Imagem: Ilustrativa)


Da Redação,com AEN

Curitiba - Com a chegada do inverno, a gripe já preocupa o Paraná. A Secretaria Estadual da Saúde organizou nessa quarta feira (05), no auditório da instituição em Curitiba, o VI Seminário Estadual sobre Influenza e Outras Doenças Respiratórias Agudas. O evento reuniu profissionais de saúde do Estado para discutir estratégias de vigilância, prevenção, diagnóstico, tratamento e vacinação da gripe. 

“Nosso monitoramento da gripe ocorre durante todo o ano, mas com a aproximação do inverno o trabalho precisa ser intensificado. Queremos sensibilizar nossos profissionais para que não esqueçam que ela é uma doença grave que deve ser tratada adequadamente”, disse o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto. 

O seminário foi transmitido para todas as 22 Regionais por videoconferência. “Reunimos diversos profissionais de saúde envolvidos no enfrentamento da gripe. Estamos em uma região onde as condições climáticas favorecem o surgimento de síndromes respiratórias, o que demanda a discussão e a padronização de ações efetivas”, explica a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide de Oliveira. 

VACINA

A principal forma de prevenção contra a doença, destacada pelo secretário, é a vacinação. “O Paraná já tem uma das maiores coberturas do país e ainda queremos mais. Para esta campanha, a meta é chegar a 90% do público-alvo, nada menos do que isso”, salienta. 

O início da campanha está marcado para o dia 17 deste mês de abril nos 399 municípios do Estado e vai até o dia 26 de maio. A mobilização nacional, também conhecida como Dia D, vai acontecer no sábado, dia 13 de maio. Nesta data, as unidades de saúde ficarão abertas durante todo o dia para vacinar a população que pertence aos grupos da campanha. 

A população-alvo inclui pessoas com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a quatro anos de idade, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), profissionais de saúde, indígenas, portadores de doenças crônicas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. Neste ano, o Ministério da Saúde também incluiu para a vacinação os professores do ensino regular e superior de escolas públicas e privadas em atividade. 

TRATAMENTO

O estoque do medicamento Oseltamivir (Tamiflu), prescrito para o tratamento da gripe, foi abastecido no Estado. No mês de março, a Secretaria da Saúde distribuiu 18,6 mil tratamentos e mantém 166,2 mil em estoque no Centro de Medicamentos do Paraná. 

A recomendação é que o medicamento seja dispensado para qualquer caso suspeito de gripe, mesmo sem confirmação laboratorial. O tratamento precoce reduz significativamente as chances de agravamento do quadro clínico do paciente. 

BOLETIM

Durante o seminário também foram apresentados os novos números da doença no Estado. Até março de 2017, foram 12 casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG), sendo oito de Influenza H3, três de Influenza B e um de H1N1. 

Os casos estão localizados nos municípios de Almirante Tamandaré (1), Curitiba (2), São José dos Pinhais (1), Ponta Grossa (1), Francisco Beltrão (1), Cascavel (1), Maringá (1) e Londrina (4). Mais informações podem ser acessadas pelo link: http://www.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=3117.

No último informe técnico também foi confirmada a primeira morte por gripe no Paraná neste ano. O óbito por Influenza B aconteceu em fevereiro no município de Maringá. A paciente tinha 79 anos e não tinha tomado a vacina em 2016, apesar de fazer parte do público-alvo da campanha.

COMENTÁRIOS