12/08/2017 10:39:00

NOVO NICHO
Guarapuava está de olho no mercado da cerveja artesanal
"Num futuro próximo queremos ser a Capital da Cerveja no Paraná", diz Itacir Vezzaro


Estande da cerveja artesanal na Expogua (Foto: RSN)


Cristina Esteche

Guarapuava - Guarapuava está de olho no mercado da cerveja artesanal. Terra que sedia a maior maltaria comercial do Brasil e a 17ª do mundo, o nicho que está em expansão provoca cervejeiros locais a se organizarem para entrarem no mercado formal.

Já está em processo de organização, a Associação dos Produtores de Cerveja Artesanal de Guarapuava, que pode agregar os cerca de 30 “paneleiros”, como são chamados os cervejeiros artesanais. De acordo com Carlos Guilherme Balkau, do distrito de Entre Rios, uma vez legalizada a entidade, que já conta com o apoio antecipado da administração municipal, terá condições de comercializar a cerveja produzida artesanalmente. “Hoje somos em torno de uns 30 cervejeiros artesanais que produzem em casa apenas para degustação. Uma vez legalizados dentro da associação, vamos poder ter a marca e colocar o produto no mercado”.

Segundo o vice-prefeito e secretário municipal de Agricultura e Turismo, Itacir Vezzaro, a ideia é disponibilizar o espaço existente junto ao Parque das Araucárias, construído para ações de turismo e ceder o equipamento necessário para a produção da cerveja artesanal para que a entidade se torne autossustentável e gere renda para quem está no setor. “O dever do Poder Público é enxergar as oportunidades e criar condições para que o setor se organize e siga em frente. Nosso município é um grande produtor de cevada e a maior parte da produção vai para fora. Portanto, temos matéria prima em abudância e pessoas com vontade de produzir a sua própria cerveja”, afirma Itacir. "Num futuro bem próximo, queremos transformar Guarapuava, de forma legal, na Capital da Cerveja, no Paraná”.

A partir disso, o município já está planejando o Festival da Cerveja no Parque do Lago, no primeiro semestre de 2018. É o elo entre uma vocação do agronegócio com o turismo. “É uma oportunidade, pois há um espaço crescente no mercado “, observa Manfred Becker, que também produz a cerveja artesanal.

Dados da Barth-Haas Group, distribuidora mundial de lúpulo – um dos ingredientes da cerveja – o mercado nesse setor cresce 2% ao ano. No Brasil, segundo o Sebrae, a crise econômica não inibiu a expansão do mercado de cervejas artesanais, nos últimos anos. Pelo contrário, o consumo cresceu, em média, 20% ao ano e a expectativa é de que, até o final de 2017, 500 cervejarias artesanais estejam operando no país. Hoje chegam a pouco mais de 300.

CURSO GRATUITO

E para contribuir com essa expansão e atrair novos cervejeiros, neste sábado (12), a partir das 14h, no estande da Associação, na Expogua, um mini curso estará acontecendo e de graça para os interessados nessa atividade. E quem quiser aprender as técnicas para produzir a sua própria cerveja, deve se apressar, pois há apenas 20 vagas. As inscrições podem ser feitas no local do curso.

 

 

 

COMENTÁRIOS