12/04/2017 15:00:00

VISÃO DE FUTURO
Turvo terá duas unidades de conservação ambiental
Município é referência em preservação e dará salto na arrecadação de ICMS Ecológico


(Foto: Zig Koch)


Da Redação, com fotos de Blog do Eloi

Turvo - O município de Turvo deu um importante passo esta semana para a implantação de duas unidades de conservação (UC) ambiental. Por unanimidade, os vereadores aprovaram uma lei que autoriza o Executivo a adquirir as duas áreas, que já são referências em preservação ambiental.

Durante a sessão ordinária de segunda feira (10), a Câmara aprovou a aquisição das áreas, sendo uma delas na região de Rio Bonito, com área total de 392,70 hectares, onde será definida a “Estação Ecológica Municipal Rio Bonito”, e a outra com área total de 306,59 hectares, localizada na localidade de Passo Escuro, que será denominada como “Estação Ecológica Municipal Felippe Paulo Rickli”.

De acordo com o representante do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Otavio Manfio, que participou da sessão, o objetivo das Estações Ecológicas é a conservação das florestas que ainda existem no Município. “Turvo já é referência em conservação e tenho certeza que este projeto será aprovado “com um pé nas costas” pelo IAP”, enfatizou.

Para o presidente da Câmara de Vereadores, Eraldo Mattos, os projetos são de grande importância para o crescimento do município. “Além do retorno financeiro, tem como objetivo preservar o meio ambiente. Os vereadores não mediram esforços e aprovaram por unanimidade de votos. Turvo é conhecido como a Terra dos Pinheirais, que dentre as belezas possui uma considerável reserva de araucárias que precisam ser preservadas”, afirmou Eraldo. 

EXPERIÊNCIA

Os trabalhos para a implantação das unidades de conservação em Turvo iniciaram ainda em 2013, na gestão do ex-prefeito Marcos Seguro. À época, o atual prefeito, Jerônimo do Rosário, era o secretário de Agricultura, e os dois acompanharam a implantação das unidades de conservação no município de Mato Rico. “Nós já tínhamos certeza da importância disso para o desenvolvimento do município, que passaria a ter mais recursos para investimentos em Saúde e Educação, além da importância da preservação ambiental”, destacou o ex-prefeito Marcos Seguro.

Para o prefeito Jerônimo do Rosário, as duas unidades de conservação, além do retorno financeiro através do ICMS Ecológico, colocarão o município de Turvo na linha das grandes pesquisas. “As universidades e institutos de pesquisa voltarão seus olhos para Turvo, pois terá a certeza que o município tem áreas preservadas e que estará cuidando da fauna e da flora, com atenção especial para as espécies em extinção. É um novo ciclo que inicia para o desenvolvimento verde de Turvo”, enfatizou o prefeito.

AS ÁREAS

Os projetos aprovados pelos vereadores esta semana, autorizam a Prefeitura a adquirir duas áreas, sendo uma com 306,59 hectares, com valor de R$ 3.826.158,80, e outra com 392,70 hectares, com valor de R$ 5.338.034,22. “Vale destacar, que a aquisição das áreas para que sejam implantadas as unidades, se deve ao excelente trabalho de preservação realizado pelos proprietários Miriam e Antonio Barbosa; Ana Meri Neiverth; Nilson e Noeli de Oliveira; e Rozi Maria e Orlando Neiverth. Graças à preservação que os quatro proprietários das áreas tiveram ao longo dos anos, está sendo possível transformá-las em unidades de preservação. Eles (os proprietários) foram fundamentais para isso”, destacou o prefeito.

SEM CUSTOS

A aquisição das áreas será realizada sem custos para o município. A partir de 2018, 50% dos recursos que o município receberá com o ICMS Ecológico será utilizado para o pagamento das áreas. “Esse repasse será mensal aos proprietários, durante o tempo necessário para que as áreas sejam quitadas”, explicou Jerônimo. Os outros 50% serão divididos em: 10% para a manutenção das estações ecológicas e 40% serão investidos em Saúde (15%) e Educação (25%).

“O município terá uma nova realidade a partir dos próximos anos. São recursos que serão obtidos com áreas que já estão aí, além do papel fundamental de preservação, haverá saltos em investimentos na Saúde e Educação”, acrescentou o prefeito.

MATO RICO

O prefeito de Mato Rico, Marcel Mendes, também esteve na sessão de segunda e citou o exemplo do Município. Segundo o prefeito, até 2013, Mato Rico recebia em torno de R$ 80 mil por ano de ICMS Ecológico. Com a implantação de três unidades de conservação, em 2014, a arrecadação deu um salto. “Já em 2014, nós passamos de R$ 80 mil para R$ 1,5 milhão. Os ganhos continuam sendo fundamentais para o desenvolvimento do Município. Vale a pena e os resultados são da população como um todo”, explicou.

PRÓXIMOS PASSOS

Com a aprovação da lei que autoriza a compra dos terrenos, agora inicia uma corrida contra o tempo.Os proprietários das áreas devem realizar o georeferenciamento e organizar a parte burocrática para a aquisição dos terrenos por parte da Prefeitura. “Os protocolos do município junto ao IAP para a criação das duas unidades de conservação devem ser feitos até o final de maio. Temos certeza que tudo será feito dentro dos prazos e Turvo continuará sendo a referência em preservação ambiental”, conclui o prefeito.

 

COMENTÁRIOS