14/04/2017 14:13:00

LAVA JATO
Depois de Richa, agora é Gleisi
Delator da Odebrecht cita os dois em planilha entregue à PGR


Gleisi Hoffmann (Foto: Divulgação)


Da Redação

Curitiba - Depois do governador Beto Richa ter o seu nome citado na planilha da Odebrecht  em documento apresentado à Procuradoria Geral da República (PGR) pelo ex-executivo da empreiteira Benedicto Júnior, agora foi a vez da senadora Gleisi Hoffmann.

Os dois estão na lista de pedidos de investigação feita pelos procuradores ao ministro Luiz Edson Fachin, relator dos processos da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com delator, foram sete doações à Gleisi somando R$ 2,45 milhões, entre 2008 e 2014, quando ela disputou a prefeitura de Curitiba, Governo do Paraná e Senado. O pedido de investigação envolvendo a senadora segue para o STF, já que somente essa corte poderá julgá-la.

O governador Beto Richa teria recebido cinco repasses num total de R$ 900 mil reais em 2010, ano em que ele concorreu pela primeira vez ao Governo do Estado. O pedido para investigar Richa foi encaminhado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), órgão ao qual compete o julgamento de casos envolvendo governadores.

 

COMENTÁRIOS