17/05/2017 14:29:00

POLÊMICA
"Os gritos do Melhem não me assustam", afirma vereador Samuca
Elcio Melhem cobrou derrubada do projeto que cortaria subsídios de vereadores afastados judicialmente


Vereador Samuca (Foto: arquivo RSN)


Da Redação

Guarapuava - Uma votação realizada na Câmara de Vereadores no último dia 23 de abril acirrou os ânimos entre os vereadores Elcio Melhem e Samuel da Silva Pinto, o “Samuca”, na sessão dessa segunda feira (16).

Em seu pronunciamento na Tribuna, Melhem disse que os sete vereadores que votaram contra um projeto seu, que cortaria os subsídios dos vereadores afastados judicialmente, votaram contra o povo de Guarapuava. (LEIA MAIS AQUI SOBRE O CASO)

Sem citar nomes diretamente, Melhem afirmou que os vereadores que votaram contra “perderam a oportunidade de resgatar a credibilidade da Câmara de Vereadores junto à população guarapuavana”. Melhem também afirmou que não foi ele quem perdeu com a não aprovação do projeto, mas sim, o povo de Guarapuava.

Por sua vez, o vereador Samuel da Silva Pinto, o “Samuca”, não aceitou as cobranças de Melhem e o criticou em seu pronunciamento na Tribuna. “Não posso aceitar que o vereador (Melhem) venha aqui e diga que a Câmara está no chão. Aqui todos os vereadores acordam cedo e trabalham até à noite. Ninguém está no chão. Cada vereador é responsável pelos seus atos e vai responder para a população da sua maneira”, desabafou.

De acordo com o vereador, a proposta defendida por Melhem teria sido protocolada sem uma discussão prévia com todos os vereadores. “O vereador Melhem não teve, mais uma vez, humildade para discutir o seu projeto com os demais vereadores. Já disse e repito, não vou votar nada na imposição ou que seja enfiado goela abaixo”, disse.

Samuca também criticou Elcio Melhem por não permanecer no plenário durante os pronunciamentos dos demais vereadores ou ficar até o final da sessão. “Ele não é humilde para ouvir. Ele ergue a voz para intimidar os vereadores, fala com o dedo em riste e sai. Não fica para olhar nos olhos de quem vai respondê-lo. É normal ele dizer que os vereadores não conhecem a história ou que não conhecem de política. Isso é falta de humildade. Ninguém aqui é dono da verdade e ninguém é mais que ninguém. Somos todos iguais e todos desempenhamos as nossas funções da melhor forma possível. Não posso mais aceitar as alfinetadas dele porque sou novo na Casa”, acrescentou o vereador, concluindo que deve satisfações do seu trabalho apenas ao povo de Guarapuava. “Devo satisfação ao povo e não ao líder do governo na Câmara. Aliás, líder que não me representa”.

No momento do pronunciamento do vereador Samuca, Elcio Melhem não permaneceu no plenário e ficou circulando pelos corredores da Câmara.

 

COMENTÁRIOS