23/03/2017 16:45:00

CINEMINHA
'Fragmentado' é sucesso de crítica e de público ao redor do mundo
Shyamalan, aquele de 'O Sexto Sentido', dá a volta por cima com uma das melhores estreias do ano


James McAvoy e uma de suas múltiplas personalidades (Imagem: Universal)


Jonas Laskouski com portais de cinemas e crítica de Felipe Moraes, do Metrópoles

Guarapuava - O diretor M. Night Shyamalan, de O Sexto Sentido e A Visita está de volta ao sucesso absoluto. Fragmentado (Split) liderou as bilheterias pela terceira semana consecutiva nos EUA e já soma incríveis US$ 102 milhões mundialmente. O filme já fez US$ 77 milhões nos EUA e US$ 24 milhões no resto do mundo, e o valor deve aumentar a partir desta quinta (23), quando a produção estreia aqui no Brasil e em outros mercados. Vale lembrar que o orçamento foi de apenas US$ 9 milhões.

'SHYAMALAN ATERRORIZA, EMOCIONA E DIVERTE'

Fragmentado abre com três adolescentes entrando no carro do pai de uma delas. Desde o primeiro plano, já sabemos que Casey (Anya Taylor-Joy, de A Bruxa) sente-se deslocada de Claire (Haley Lu Richardson) e Marcia (Patricia Sula).

Elas entram no carro. Casey, pegando carona, fica no banco da frente. E, então, Shyamalan move a câmera horizontalmente repetidas vezes, entre o retrovisor e o interior do veículo. Algo aconteceu lá fora. Casey olha para o lado. Um estranho (James McAvoy) está com as mãos no volante. Ele tem 23 personalidades múltiplas e acaba de raptar as três garotas.

Como estamos em um filme de Shyamalan, o sequestrador não é só um sequestrador, mas um homem doente que vive em catacumbas urbanas. As três garotas parecem servir a um propósito maior: alimentar o surgimento de uma 24ª personalidade.

Shyamalan retorna a um de seus temas favoritos - o trauma como experiência que une as pessoas e as torna especiais - para praticar mais um filme de terror caseiro, claustrofóbico, entre quatro paredes.

Se A Visita mostra um aterrorizante feriado dos netinhos na casa dos avós, Fragmentado parte de um pretenso filme de serial killer para narrar a metamorfose de um homem atormentado. A doutora Karen (Betty Buckley), terapeuta do sequestrador, argumenta que as personalidades múltiplas podem representar um conhecimento pleno da existência humana.

Ele é Kevin, mas atende sobretudo pelo simpático estilista Barry, pela mandona Patricia, pelo garotinho de Hedwig, de nove anos, e pelo comedido Dennis, um sujeito com mania de limpeza. Como na maioria de seus filmes, Shyamalan se apoia na estranheza de seus personagens para levar o público a lugares inimagináveis.

Fragmentado despeja um clímax assombroso e de reviravoltas desconcertantes, mas é capaz de explorar lugares escuros e neles encontrar uma fé inabalável na fantasia e na capacidade humana de se conectar com o outro.

O trailer você confere aqui:

 

COMENTÁRIOS