23/09/2016 00:34:00
O que faltou foi justamente o debate!



Com a propaganda eleitoral gratuita onde os candidatos entram diariamente na casa das famílias, os debates entre candidatos – no caso atual, os postulantes a prefeito – tem influência, sim, mas na porção indecisa de eleitores. O voto consolidado, aquele que já está decidido raramente será revertido por causa de debates na televisão.
Se essa era a intenção do primeiro debate entre os candidatos a prefeito de Guarapuava, Antenor Gomes de Lima (PT), Cesar Silvestri Filho (PPS), João Nieckars (Rede Sustentabilidade) e Luciano Gago (PT do B), na TV Tarobá, de Cascavel, não deverá surtir efeito.

Aliás, o que faltou foi justamente o debate. Num momento em que um devia se sobrepor ao outro, a impressão que se deu é de que a cautela fez que cada qual ficasse no "seu quadrado". Quando se esperava um momento acalorado, as amenidades delimitadas já no primeiro bloco quando cada candidato teve a chance de perguntar a outro, ficou evidente comos eria o clima do encontro político  E essa condição permaneceu por quase duas horas.

O ponto alto do programa foi patrocinado por Luciano Gago e pelo Dr. Antenor quando o assunto foi a saúde básica. Se por um lado o médico mostrou conhecimento  - o que pela própria força da profissão não poderia ser diferente, de outro Gago literalmente tropeçou, confundiu Unidade de Pronto Atendimento com unidade de saúde básica e para se defender ousou a velha tática do ataque. Se dividindo entre criticar as oligarquias, numa referência velada ao candidato Cesar Filho,  discurso que repete incansavelmente todos os dias, deixou explícito, mais uma vez, que a sua missão é atacar o candidato do PT. Tenta confundir, entretanto, ao abordar assuntos ácidos da atual gestão e ao se colocar no papel de opositor, subliminarmente.
Já o Dr. Antenor aproveitou momentos disponibilizados por João Nieckars, embora pudesse ter aproveitado muito mais. Houve momento em que o candidato da Rede “levantou a bola”, mas Dr. Antenor “não soube ou preferiu não cortar”. 
De outro lado,  o candidato à reeleição Cesar Silvestri Filho, voltou à linha retórica dos programas eleitorais no rádio e na televisão, utilizando uma linguagem persuasiva e eficaz para prestar contas do atual mandato, listando o que já fez. Entretanto, poderia ter apresentado mais propostas.
Quem ganhou mesmo com o debate foi João Nieckars. Com pouquíssimo tempo do programa eleitoral gratuito, sem ter acesso à entrevista na RPC, e sem dinheiro para fazer a campanha, João soube aproveitar a oportunidade. Foi simpático, tranqüilo, falou com clareza e objetividade ao expor parte do seu plano de governo. Falou para o formador de opinião.
Em breve os candidatos voltarão para mais um debate, desta vez na RPC. Se haverá uma discussão mais acalorada? Pouco provável. Todos sabem que o eleitor está saturado, não quer saber mais de política e muito menos de políticos. E os candidatos sabem que em qualquer exposição pública, principalmente, em campanha eleitoral, qualquer deslize pode ser gol. E contra!

 

Sobre o Blog

Cristina Esteche é jornalista, publicitária e fundadora da Rede Sul de Notícias.