27/09/2017 10:20:00
Saída ou não de Osmar Dias do PDT não tem dia marcado


Osmar Dias (Divulgação)


O ex-senador Osmar Dias se mantém firme no PDT e somente uma condição o afastaria do partido brizolista: a incompatibilidade entre uma possível candidatura do seu irmão Álvaro Dias (Podemos) e Ciro Gomes (PDT) à presidência da República. É sabido que os Irmãos Dias não ficam em campos diferentes em qualquer eleição. A família em primeiro lugar, como costumam dizer.

Osmar Dias é candidatíssimo ao Governo do Paraná e as últimas pesquisas o colocam como sendo o preferido nas intenções de votos do eleitorado. Trabalhar contra o Álvaro Dias no cenário estadual é tirar votos de um colegiado com cerca de oito milhões de votos. E isso Osmar, com certeza, não fará.

Assediado por várias siglas, entre as quais o próprio Podemos, o Dem, o PSB, e o PRB, Osmar, entretanto, trabalha na base nacional para permanecer no PDT, partido no qual está filiado desde 2001, pelas mãos de Leonel Brizola. Aliás, a quem considera como sendo o último estadista que o Brasil teve.

Em contrapartida, o ex-ministro Ciro Gomes, se coloca como pré candidato à sucessão de Michel Temer e busca viabilizar a sua candidatura, colocando-se como a pedra no sapato, um incômodo que, se isso acontecer, forçaria a saída de Osmar das hostes brizolistas. Por enquanto, o irmão de Álvaro Dias diz que está confortável no PDT. Se sai ou não, é uma decisão que ainda não tem dia e nem hora marcada.

Sobre o Autor

Cristina Esteche é jornalista, publicitária e fundadora da Rede Sul de Notícias.