30/10/2017 07:02:00

EM QUEDA
Aprovação de Trump cai para 38%, revela pesquisa
Os que desaprovam sua administração somam 58%


(Foto: Reprodução)


Da Redação, com Agência Brasil

Washington - O apoio ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, caiu em outubro para seus níveis mais baixos desde que ele tomou posse. É o que diz uma pesquisa divulgada neste domingo (29) pelos veículos de informação The Wall Street Journal e NBC News.

O índice de aprovação ao trabalho de Trump como presidente caiu cinco pontos desde setembro e está agora em 38%, enquanto os que desaprovam sua administração somam 58%, de acordo com as opiniões das 900 pessoas que participaram do levantamento.

Embora a maioria dos eleitores do Partido Republicano - oito em cada dez - aprove o trabalho do presidente, os resultados da pesquisa sugerem que sua base de seguidores está minguando em alguns setores, segundo um dos responsáveis pela pesquisa. As informações são da agência de notícias EFE.

Nesse sentido, a queda da aprovação de Trump foi impulsionada por três grupos de população: os politicamente independentes, os brancos e os brancos sem estudos universitários, detalhou a NBC.

Por exemplo, o apoio a Trump caiu entre as mulheres brancas sem diploma universitário: no mês passado, 50% eram favoráveis ao seu trabalho. Agora, este número é de 40%.

No mesmo período do primeiro ano de seus governos, os antecessores de Trump alcançaram números de apoio mais altos: George W. Bush tinha uma taxa de aprovação de 88%, Barack Obama, de 51% e Bill Clinton, de 47%, segundo os pesquisadores.

FURACÕES

O ponto no qual os entrevistados demonstraram mais apoio ao presidente foi na gestão dos furacões Harvey e Irma, que atingiram o Texas e a Flórida, com 48% de opiniões favoráveis a sua atuação, enquanto 27% foram contra.

Não obstante, a popularidade de suas ações relativas à situação em Porto Rico após a passagem do furacão Maria se distancia bastante das anteriores, com apenas 29% de aprovação.

A administração da economia americana, que no mês passado cresceu a um ritmo anual de 3%, é outro ponto no qual Trump obteve números favoráveis na pesquisa: os entrevistados que a aprovam somam 42%, contra 37% que se opõem à política econômica do presidente.

Trump não obteve pontuações muito boas em relação à política externa, já que apenas 35% dos entrevistados foram favoráveis. Concretamente, 34% defendem sua posição no conflito com a Coreia do Norte e 24% - o percentual de apoio mais baixo da pesquisa - são favoráveis a seu enfoque em relação ao acordo com o Irã.

Outros assuntos da atualidade renderam números mais moderados ao presidente americano: sua gestão após o massacre em Las Vegas, onde um homem matou 58 pessoas, teve a aprovação de 33% dos entrevistados, enquanto o seu posicionamento diante dos protestos dos jogadores da NFL durante a execução do hino nacional obteve 30% de apoio, frente ao percentual mais alto de rejeição: 59%.

A gestão da saúde é outro dos temas nos quais o presidente não recebeu uma avaliação muito boa, já que apenas 27% dos entrevistados estão satisfeitos com sua condução das políticas de saúde, contra 57% que não aprovam.

Em relação às eleições do meio de mandato, que acontecem daqui um ano, 48% dos participantes da pesquisa afirmaram que preferem um Congresso de maioria democrata, um ponto percentual a mais que em setembro.

Quase metade dos entrevistados (46%) garantiu que seu voto em novembro de 2018 terá como objetivo enviar uma mensagem aos democratas para que estes controlem e supervisionem Trump e os congressistas republicanos.

COMENTÁRIOS