31/10/2017 14:53:00

DIA DAS BRUXAS
Entre o criador e a criatura: a arte transforma o mais belo rosto numa figura de causar arrepios
Vinicius Korocoski faz retratos, aerografia e cria personagens de filmes de terror


Vinicius e a pequena Sophia, maquiada para Festa de Halloween (Foto: Facebook)


Da Redação

Guarapuava - As figuras mais bizarras e aterrorizantes saem dos filmes de terror e ganham vida, principalmente, no Dia das Bruxas, 31 de outubro. Embora seja uma cultura celta, levada para os Estados Unidos pelos irlandeses e difundida no Brasil, em especial pelas escolas de língua inglesa, o brasileiro adora se transformar nesses personagens para qualquer festa à fantasia. São bruxas, caveiras, zumbis, ceifadores, e outros personagens criados a partir de tintas de maquiagem, cola, papel higiênico, entre outros, que na habilidade do desenhista se transformam em cortes profundos, em figuras teatrais. 

Em Guarapuava, esse segmento ganha aliados com experts em maquiagem do gênero e Vinicius Korocoski é um deles. O menino que começou a desenhar desde os quatro anos de idade, já com tendência para personagens horripilantes, aos 14 anos começou a fazer retratos e hoje é especialista em aerografia, pinturas de rosto e de corpo, e começará tamebém a fazer tatuagem.

“Lembro quando estava na escola e só desenhava caveiras. Um dia, a professora perguntou por que eu não desenhava um jardim. Desenhei, mas enchi de bichos pra não fugir do estilo”.

Procurado por quem gosta de rock, motociclistas e outros tribos que gostam de desenhos radicais, Vinicius explica que desenhar uma caveira não significa uma apologia à morte, mas sim para chamar a reflexão de que todos são iguais, independente de cor, sexo, poder aquisitivo ou crença. “Somos todos iguais, assim como as caveiras. Você consegue saber se uma caveira pertence a um homem ou mulher, ou de que cor ou classe social pertence”?

Segundo Vinicius, tudo é uma questão cultural. “Como não temos uma festa como a americana, qualquer festa à fantasia é motivo para o guarapuavano incorporar o personagem com o qual se identifica”.

COMENTÁRIOS